Na véspera da reunião com o PT, prevista para esta quarta-feira (9/3), o presidente do PSB, Carlos Siqueira, garantiu que não haverá federação com o PT. Siqueira compartilhou a avaliação na terça-feira (8/3), em conversa com o deputado estadual Bernardo Mucida, de Minas Gerais.

Segundo relatos, nesse encontro com Siqueira, Mucida disse que cogita sair do partido caso não ocorra a federação. Siqueira respondeu, então, que a federação já estava descartada.

A situação do PSB em Minas Gerais é delicada. Brigas internas podem levar a uma debandada da sigla no estado, que conta com três deputados federais.

Apesar de a federação com o PT estar descartada pelo presidente do PSB, os dois partidos devem estar juntos na forma de uma coligação, na chapa presidencial. Por esse desenho, Geraldo Alckmin se filiará em breve ao PSB e será vice na chapa de Lula.

Com isso, o PSB e o PT estarão juntos já no primeiro turno em parte dos estados. Em São Paulo, por exemplo, o impasse continua: o pessebista Márcio França cogita concorrer contra o petista Fernando Haddad pelo governo do estado.

PT, PSB, PV e PCdoB se reúnem nesta quarta-feira (9/3), para discutir uma federação entre essas siglas. As duas legendas menores, PV e PCdoB, devem se juntar ao PT na esperança de que a presença de Lula na campanha ajude os partidos a aumentar a bancada parlamentar e, assim, superar a cláusula de barreira.

 

METRÓPOLES