Petrobras vai reajustar em 18,7% o preço da gasolina e em 24,9% o do diesel nas refinarias. O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) será reajustado em 16%

 

O reajuste nos preços dos combustíveis anunciado pela Petrobras foi criticado pelos pré-candidatos ao Palácio do Planalto nas redes sociais. A Petrobras informou hoje que, a partir de amanhã, vai reajustar em 18,7% o preço da gasolina e em 24,9% o do diesel nas refinarias. O Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) será reajustado em 16%.

O líder nas intenções de voto, o candidato petista Luiz Inácio Lula da Silva, atribuiu o preço caro dos combustíveis à privatização da BR distribuidora e à importação de gasolina.

“Sabe porque a gasolina, o gás e o diesel estão caros? Porque esse Brasil tinha uma grande distribuidora chamada BR que foi privatizada e agora você tem empresas importando gasolina dos Estados Unidos em dólar enquanto temos auto suficiência e produzimos petróleo em reais”, escrveu no Twitter.

Na mesma rede social, o pré-candidato do PDT ao Planalto, Ciro Gomes, criticou a política de preços da Petrobras pelos altos preços dos combustíveis.

“Mais uma garfada cruel no bolso das brasileiras e brasileiros por causa da famigerada política de preços da Petrobras de Bolsonaro. Quem lembra das pistolas de remarcação de preços, nos supermercados, na época da hiperinflação?”, questionou Ciro no Twitter ao acrescentar que “já estamos vivendo de novo esta era de assalto permanente ao bolso do povo. Daqui a pouco, os aumentos serão semanais, quem sabe diários!”

Sem citar diretamente o aumento da Petrobras, o pré-candidato do Podemos ao Planalto, Sergio Moro, defendeu o estímulo à produção de energia renovável como alternativa ao petróleo. “A disparada do preço do petróleo deixa claro: precisamos estimular a produção de energias renováveis, com foco em energia eólica, solar, etanol e hidrogênio verde. Com maiores investimentos no setor, podemos criar mais de 40 milhões de empregos até 2050”, escreveu em sua conta no Twitter.

VALOR ECONÔMICO