Mais um desdobramento do caso da estudante de medicina Mariana Thomaz, morta em março deste ano, na capital João Pessoa, se deu na quarta-feira (23). O suspeito de cometer o crime, Johannes Dudeck, foi indiciado por feminicídio e estupro.

O empresário está preso desde o dia 12 de março, quando o corpo da estudante foi encontrado. As informações complementares que indiciaram o suspeito por estupro foram obtidas do laudo tanatoscópico do Instituto de Polícia Científica (IPC).

A agressão contra a vítima também foi comprovada com o laudo.

O indiciamento passará agora por análise do Ministério Público da Paraíba. Passando pelos processos seguintes, caso haja aceitação, a denúncia deve ser encaminhada à Justiça, e assim iniciar um processo criminal.

Entenda o caso

O corpo de Mariana Thomaz de Oliveira, de 23 anos, foi encontrado com sinais de estrangulamento em um apartamento, no bairro do Cabo Branco, em João Pessoa, no último sábado, 12.

De acordo com informações da Polícia Civil, o suspeito de ter cometido o crime estava se relacionando com a vítima havia um mês. Ela era natural do estado do Ceará e estava na Paraíba para cursar medicina.

 

PARAÍBA ONLINE