Os pré-candidatos Efraim Filho (União Brasil) e Bruno Roberto (PL) anunciaram que têm, respectivamente, o apoio de 125 prefeitos e 70 prefeitos em suas jornadas rumo à única vaga em jogo para o Senado nas eleições deste ano.

Fazendo uma conta de somar, são 195 prefeitos de um total de 223 municípios paraibanos. Aí que a conta começa a não fechar pois, para dar certo, Aguinaldo Ribeiro, Sérgio Queiroz, Rangel Júnior e Ricardo Coutinho teriam que, todos somados, terem menos que 28 prefeitos, o que é virtualmente impossível.

Ou tem prefeito fazendo jogo duplo ou tem pré-candidato inflando os seus números. Outra possibilidade é a de que Efraim ou Bruno Roberto estejam chamando de prefeitos, na realidade, ex-prefeitos – o que é uma prática relativamente comum no Brasil, chamar alguém pelo cargo mais importante que ocupou em sua vida pública.

A última possibilidade, como antecipado no 2º parágrafo, seria Aguinaldo, Sérgio, Rangel e Ricardo, somados, não terem mais que 28 apoios de prefeitos. Mas isso é muito improvável. Aguinaldo Ribeiro, só pelo fato de ser a principal liderança do PP, teria, em tese, pelo menos o apoio de 23 prefeitos do partido, mais o de Charles Camaraense, que é do Cidadania é um dos principais apoiadores de Aguinaldo.

 

PB Agora