Ainda não será desta vez que Gabriel Medina voltará ao Circuito Mundial. O surfista brasileiro vai ficar fora também da etapa de Bells Beach, na Austrália, cuja janela de competição se abrirá no dia 10 de abril. O tricampeão mundial ainda não estreou na temporada 2022 por questões de saúde mental.

Medina não participou das três primeiras etapas do ano: Pipeline, Sunset (ambas no Havaí), e Peniche, em Portugal. Havia expectativa de que ele voltasse ao circuito na Austrália porque o país conta com duas etapas em sequência na competição. O surfista não se manifestou sobre a decisão em suas redes sociais.

Em janeiro, o tricampeão anunciou que perderia as primeiras etapas da temporada para cuidar de sua saúde mental. Sem entrar em detalhes, ele afirmou que não estava se sentindo “emocionalmente” preparado para voltar a competir após meses “desgastante”.

Medina vem de um ano tumultuado em sua carreira e também na vida pessoal. Em 2021, ele arrasou no Circuito e ficou com o título dando show. Mas ficou aquém do esperado na Olimpíada de Tóquio, saindo sem medalhas após perder na semifinal e na disputa do bronze. Ele ainda contestou as notas que recebeu na semifinal da disputa no Japão, contra Kanoa Igarashi.

Longe das competições, ele enfrentou questões familiares. Rompeu com Charles Saldanha, seu padrasto e técnico durante toda a sua carreira até então, e teve grandes desavenças com a mãe Simone. Isso tudo culminou na parada de seu projeto social em Maresias. Por outro lado, contratou o australiano Andy King como seu novo treinador e se reaproximou do pai biológico.

Pouco antes da Olimpíada, ele teve divergências com o Comitê Olímpico do Brasil (COB). O surfista teve negado seu pedido para credenciar a esposa Yasmin Brunet como membro de sua equipe técnica para a Olimpíada. A entidade havia informado aos atletas que só liberaria uma pessoa como acompanhante no Japão, em razão das medidas restritivas impostas pelos Jogos Olímpicos devido à pandemia.

Medina já havia inscrito seu treinador para receber o credenciamento. O COB disse que a troca não era possível e a polêmica foi alimentada por publicações de Yasmin nas redes sociais criticando a entidade. E quase ofuscou a performance do surfista brasileiro nas águas japonesas.

Como aconteceu nas demais etapas deste ano, Medina será substituído pelo compatriota Caio Ibelli. Após perder sua vaga na elite do surfe mundial no ano passado, ele aparece agora na sexta colocação do ranking desta temporada. Outras baixas são costa-riquense Carlos Muñoz e o brasileiro Yago Dora, ambos machucados.

Por outro lado, a etapa australiana terá um reforço de peso: Mick Fanning. O tricampeão mundial, aposentado em 2018, será um dos convidados da competição. “Bells era o convite que eu realmente queria. Recebi para Narrabeen no ano passado, mas para Bells era o que eu mais desejava. É um lugar que está muito perto do meu coração, então estou bem animado para competir lá. Eu gosto muito da onda de Bells. A velocidade dela, as paredes abrindo e o fato de ser um point break de direitas. Eu amo tudo que vem com Bells, a história, as falésias, a reunião da galera no estacionamento, é tudo incrível. É um lugar que está guardado no meu coração.”

 

 

  • WSCOM