Com a saída de Sergio Moro do Podemos ontem, o partido busca calcular, exatamente, a quantia gasta com o ex-ministro em sua pré-campanha para a candidatura à Presidência da República. Entre pesquisas eleitorais, eventos, salários e viagens de Moro, sua mulher, Rosângela, e sua equipe, a liderança da sigla estima cerca de R$ 2 milhões.

Em nota ao jornal O Estado de S. Paulo, Sergio Moro justificou seus gastos, apontando que essa é a função do Fundo Partidário, que, em suas palavras, “serve para o financiamento de atividades da legenda e seus filiados, seguindo a legislação em vigor, o que foi feito em relação às despesas de pré-campanha”.

O antigo partido do ex-juiz ainda está buscando encontrar o número exato de gastos, no entanto, de acordo com apuração do Estadão, o Podemos já havia investido pelo menos R$660 mil.

A quantia acima foi encontrada com base em dados sobre os gastos somente com Moro, seja com seu salário, de R$ 22 mil, o evento de filiação, que custou R$ 210 mil, e até R$ 110 mil com passagens aéreas.

Essa notícia vem após a decisão da esposa de Moro, Rosangela Moro, de sair do partido também, o que evita mais gastos do Podemos, que iria investir um salário de R$ 20 mil à candidata para a Câmara Federal.

  • UOL