Em meio a negociações de partidos sobre o apoio em palanques estaduais para as eleições de outubro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quarta-feira (6), que não participará de campanha em nenhum estado do país.

“Eu fico maluco se eu começar a apoiar um aqui, outro lá”, disse Bolsonaro durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada.

O presidente discursava sobre campanhas eleitorais quando fez a declaração. Na conversa, ele disse que a quantidade de candidatos diminuiu este ano, sem citar números ou fontes. “A barra é pesada”, destacou.

“Por que eu não entro em campanha? Porque senão eu não trabalho, senão não consigo produzir nada para o Brasil. Imagina eu negociando em cada estado, bancada. É difícil isso aí. É impossível fazer isso aí”, completou.

A declaração de Bolsonaro, que buscará a reeleição neste ano, ocorre em meio a negociações políticas de apoio em palanques estaduais. Recentemente, o presidente promoveu evento em Brasília com o objetivo de ampliar a quantidade de políticos filiados ao PL e aumentar a base de apoio.

A equipe de campanha de Bolsonaro havia divulgado o evento como lançamento da pré-candidatura. No entanto, a equipe jurídica acendeu o alerta sobre as regras eleitorais e promoveu uma mudança. Agora, o ato é chamado de Movimento Filia Brasil, É com Ele que Eu Vou.

Diversos candidatos, inclusive ex-ministros do governo, tentam ser o nome apoiado pelo presidente Bolsonaro no pleito eleitoral, como o ex-ministro do Trabalho e Previdência Onyx Lorenzoni, que trava batalha com o senador Luis Heinze (PP-RS). Ambos disputarão o Governo do Rio Grande do Sul.