O Diretório Nacional do PSol aprovou neste sábado (30) o apoio à pré-candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República. Por 35 votos 25, o partido decidiu pelo apoio apresentando, em contrapartida, propostas para o programa de governo do petista.

Entre as sugestões acolhidas estão a revogação da reforma trabalhista e do teto de gastos, bem como a proposição de criar um novo marco fiscal.

Essa é a primeira vez que o PSol, desde que foi criado em 2006, apoia o PT desde o primeiro turno e decide não lançar candidato próprio ao Planalto. A sigla já lançou Heloísa Helena na disputa presidencial de 2006, Plínio de Arruda Sampaio em 2010, Luciana Genro em 2014 e Guilherme Boulos em 2014.

O presidente nacional do PSol, Juliano Medeiros, afirmou: “A união da esquerda em torno da candidatura de Lula é sem dúvida a melhor tática para derrotar Bolsonaro. Estamos felizes e esperançosos com essa decisão. Na semana que vem já iniciaremos as conversas para participar do conselho político da campanha e da coordenação do programa de governo”.

 

O presidente nacional do PSol, Juliano Medeiros, afirmou: “A união da esquerda em torno da candidatura de Lula é sem dúvida a melhor tática para derrotar Bolsonaro. Estamos felizes e esperançosos com essa decisão. Na semana que vem já iniciaremos as conversas para participar do conselho político da campanha e da coordenação do programa de governo”.

 

Medeiros destacou que o próximo passo será abrir diálogo com a Rede Sustentabilidade para que a federação possa “formalmente compor a coligação com o PT”.

 

  • WSCOM