O Conselho Curador do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) anunciou nesta 6ª feira (22.jul.2022) a distribuição de 99% do lucro líquido do fundo em relação ao ano-base de 2021. A decisão foi tomada em reunião extraordinária.

Do total de R$ 13,3 bilhões de lucro, serão distribuídos R$ 13,2 bilhões entre os trabalhadores com contas vinculadas ao FGTS. Esses valores resultam de receitas de R$ 39,3 bilhões e despesas de R$ 26 bilhões.

Em 2021, foram distribuídos R$ 8,12 bilhões, o que representou 96% do lucro do fundo (R$ 8,46 bilhões). Em 2020, houve repasse de 66,2% (R$ 7,5 bilhões) do lucro total de R$ 11,3 bilhões.

Segundo a legislação, o repasse deve ser feito até 31 de agosto. O conselho, no entanto, aprovou o pagamento a partir de publicação no Diário Oficial da União. Os valores serão disponibilizados de contas do FGTS com saldo até 31 de dezembro de 2021.

Para saber a quanto terá direito, o trabalhador deve multiplicar o saldo que havia na conta do fundo até 31 de dezembro pelo índice de correção (0,02748761). O percentual garante a distribuição de R$ 27,48 para quem tinha R$ 1.000 até a data, por exemplo.

Ao todo, são 207,8 milhões de contas vinculadas ao fundo. A Caixa Econômica Federal disponibilizou em seu site os requisitos para sacar os valores, além dos documentos necessários em cada caso.

Veja os motivos para ter acesso aos recursos:

  • demissão sem justa causa;
  • aposentadoria;
  • idade igual ou superior a 70 anos;
  • término do contrato por prazo determinado;
  • rescisão do contrato por extinção da empresa;
  • supressão de parte de suas atividades;
  • fechamento de estabelecimentos;
  • falecimento do empregador individual;
  • decretação de nulidade do contrato de trabalho;
  • rescisão do contrato por culpa recíproca ou força maior;
  • suspensão do trabalho avulso;
  • falecimento do trabalhador.

 

Poder 360