Com a possibilidade de se tornar inelegível após julgamento do TCU nesta semana, o ex-procurador Rodrigo Janot ficou de fora da lista de candidatos do Podemos no Distrito Federal, domicílio eleitoral dele.

A chamada “nominata” com os candidatos do partido à Câmara dos Deputados pelo DF, cargo até então almejado por Janot, foi definida na noite de sexta-feira (5/8), prazo final para as legendas realizarem suas convenções.

No documento, o Podemos lista apenas oito candidatos a deputado federal no DF, um a menos do que os nove postulantes que a sigla poderia lançar nas eleições deste ano.

A ata da reunião pondera, entretanto, que Janot se colocou “à disposição” para “complementar” as chapas da legenda, após a análise dos registros das candidaturas proporcionais.

O julgamento

Segundo dirigentes do Podemos, o ex-procurador quer aguardar seu julgamento npelo TCU em processo que analisa se os gastos da força-tarefa da Lava Jato com passagens e diárias provocaram lesão aos cofres públicos.

O julgamento está marcado para esta terça-feira (9/8) e envolve ainda o ex-procurador Deltan Dallagnol (Podemos), pré-candidato a deputado federal pelo Paraná. Se condenados, Janot e Dallagnol ficarão inelegíveis.

Nos bastidores, integrantes da cúpula do Podemos admitem que a expectativa no partido é de que o tribunal condene ambos, o que os impedirá de disputar as eleições de outubro deste ano.

Caso sejam absolvidos, porém, dirigentes da legenda ressaltam que a lista de candidatos ainda poderá ser alterada até a próxima segunda-feira (15/8), quando acaba o prazo para registro de candidaturas.

Outro que também ficou de fora da lista de candidatos do Podemos no DF foi o ex-ministro e general Carlos Alberto Santos Cruz. Ele ficou de dar uma resposta à sigla até o final da semana.

 

METRÓPOLES