Foto: Reprodução

Coreia do Norte lançou nesta 4ª feira (17.ago.2022) 2 mísseis de cruzeiro a partir de Onchon, sul do país, em direção ao mar do Oeste (mar Amarelo). A ação ocorre 1 dia depois de EUA e Coreia do Sul realizarem exercícios conjuntos.

À Reuters, uma fonte militar sul-coreana disse que as autoridades militares sul-coreanas e norte-americanas estão analisando detalhes do voo dos mísseis, como o alcance.

Os exercícios de Washington e Seul são uma preparação para o treinamento anual chamado de Ulchi Freedom Shield, que será realizado de 22 de agosto a 1º de setembro. Pyongyang considera a ação um treino para invasão do país.

Pouco depois do lançamento dos mísseis, o presidente da Coreia do Sul, Yoon Suk-yeol, declarou que as conversas com o vizinho devem contribuir com o estabelecimento da paz e não para fins políticos.

O último teste de armas da Coreia do Norte havia sido feito em julho. Pyongyang vem realizando diversos exercícios militares desde o começo de 2022. Entre eles, um em que foi lançado um míssil intercontinental com capacidade nuclear.

No fim de julho, o líder norte-coreano, Kim Jong-un, disse que o país está “totalmente” preparado para enfrentar qualquer tipo de confronto militar com os EUA e a Coreia do Sul.

Nossas forças armadas estão agora totalmente preparadas para lidar com qualquer tipo de crise, e o dissuasor de guerra nuclear de nosso país também está totalmente pronto para demonstrar seu poder absoluto com precisão e prontidão fiel à sua missão”, falou.

Segundo ele, os EUA estão “obcecados” em transformar a Coreia do Norte no “diabo” para manipular a opinião internacional. Kim Jong-un disse também que a Coreia do Sul está “frenética” para desenvolver armas.

“Mas a Coreia do Sul não pode deixar de aceitar sua inferioridade militar em relação a nós como seu destino e nunca poderá recuperar a inferioridade em nenhum momento”, declarou.

PODER 360