Jair Bolsonaro (Foto: Arquivo/PR)

PORTO ALEGRE, RS, E ESTEIO, RS (FOLHAPRESS) — Questionado sobre o veto da Justiça eleitoral ao uso de celulares em cabines de votação, o presidente Jair Bolsonaro (PL) classificou a resolução como abusiva e prejudicial ao “nosso lado”.

A declaração do candidato à reeleição foi dada a repórteres durante visita à Expointer, feira agropecuária em Esteio, no Rio Grande do Sul.

“No meu entender é mais um abuso do TSE [Tribunal Superior Eleitoral]. Estão tomando mais medidas que prejudicam sempre o nosso lado. Lamentavelmente, o TSE tem agido desta maneira”, disse.

Conforme a resolução de quinta-feira (1º), o eleitor que se recusar a deixar o equipamento com o mesário da seção eleitoral não poderá votar. Além disso, a polícia pode ser chamada. Dois dias antes, o tribunal havia proibido o porte de armas perto de seções nos dias das votações, nas 48 horas anteriores e na data seguinte ao pleito.

As duas decisões acirram o clima entre Bolsonaro e seus apoiadores e a corte presidida pelo ministro Alexandre de Moraes.

Na visita ao Parque de Exposições da Expointer, Bolsonaro afirmou ainda que pretende comparecer aos demais debates da campanha e comentou o resultado da pesquisa Datafolha de sexta-feira.

A pesquisa aponta para a existência de segundo turno entre ele e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em razão, principalmente, do crescimento das intenções de voto de Ciro Gomes (PDT) e de Simone Tebet (MDB).

“Não acredito em pesquisas, mas o Datafolha ontem já falou que vai ter segundo turno. Se falou que vai ter é porque não vai. Vamos ganhar no primeiro turno.”

 

Por PAULO MUZZOLON E CAUE FONSECA/FOLHAPRESS