O grupo classifica projetos como positivos ou negativos de acordo com os 3 valores principais e com o acompanhamento de um conselho com 40 especialistas

Ranking dos Políticos, site que pretende avaliar objetivamente deputados e senadores, também tem como objetivo influenciar o Congresso para aprovar projetos contra a corrupção, desperdício e privilégios. São esses 3 pontos que usam para dar notas de 0 a 10 aos congressistas.

O diretor-geral do Ranking, Gláucio Dias, 44 anos, e uma das influenciadoras do projeto, Nanda Schmidt, 22, concederam entrevista no estúdio do Poder360, em Brasília, em 31 de agosto de 2022.

No site do ranking, o grupo se define como “uma iniciativa da sociedade civil que avalia senadores e deputados federais em exercício, classificando-os do melhor para o pior, de acordo com os critérios que estabelecemos: combate aos privilégios, desperdício e corrupção no poder público”.

Na prática, os políticos que seguem os critérios estabelecidos nos temas antiprivilégios, anticorrupção e antidesperdício são bem avaliados. Enquanto quem é contra, vai pior. O 1º lugar na classificação é do senador Eduardo Girão (Podemos-CE). Já a última colocada é a deputada Vivi Reis (Psol-PA).

Gláucio afirma que o objetivo da plataforma é influenciar os congressistas dentro e fora do Congresso, além dos profissionais da Câmara e do Senado que trabalham explicando os projetos. Outra forma de influência é utilizando as redes sociais – o perfil do ranking no Instagram tem 487 mil seguidores.

O grupo classifica projetos como positivos ou negativos de acordo com os 3 valores principais e o acompanhamento de um conselho com 40 especialistas. Assim, avaliam com notas positivas ou negativas os votos dos congressistas.

Quando dá 80% de voto do conselho a favor ou contra a matéria a gente posiciona. E posicionar significa o quê? A gente ir trabalhar nas redes sociais e dentro do Congresso para que aquela matéria tenha aquele encaminhamento”, afirmou Gláucio.

Entre os projetos considerados bons pelo Ranking está o novo marco do saneamento básico, por exemplo. Já o Fundo Eleitoral ou sua ampliação é visto como negativo.

APARTIDÁRIO

No site da plataforma, o grupo diz que não é isento, já que defende certas bandeiras, mas também se declara apartidário. A influenciadora digital e comunicadora do Ranking dos Políticos, Nanda Schmidt, diz que é possível que o público entenda essa separação pela confiança que desenvolveram com o projeto ao longo do tempo.

“Às vezes [as pessoas] não têm tempo de fiscalizar e tudo mais. Então, elas têm essa confiança no Ranking dos Políticos, por que quem quer corrupção no Brasil? É que o que ele falou, está ligado com o bem comum”, disse.

Gláucio afirma também que os critérios estabelecidos pela plataforma estão em constante evolução e que são atualizados de tempos em tempos.

Para as eleições de outubro, o grupo pretende ser usado como ferramenta para analisar os candidatos e ajudar as pessoas a escolherem seus votos.

“Levando informação de qualidade, eu acho que é o principal ponto. Nesse ambiente de fake News, de polarização. Levando informação de qualidade, porque ali a gente só analisa os dados objetivos, como é que o cara votou. Não tem blá, blá, blá”, afirmou Gláucio.

 

PODER 360