Ouvir transmissões de rádio em ondas curtas sempre foi para mim um grande fascínio. Havia certa vez na minha infância, conhecido pessoalmente um radialista da região onde morava. Eu era fascinado por seu trabalho como locutor em uma FM a tal ponto de mesmo sendo um garoto, sair da minha casa sem autorização de meus pais para acompanhar um dos seus programas. Naquela tarde conheci o mesmo e vi que ele usava um pequeno aparelho de rádio que sintonizava diversas bandas e frequências. Naquele dia voltei pra casa eufórica e queria de todo o jeito adquirir um aparelhinho daqueles. Pobre da minha mãe que pouco dinheiro tinha, porém, mesmo assim fez meus gostos e me deu o necessário para comprar o que tanto queria. Mesmo já tendo um aparelho de ondas curtas, mas foi com este portátil, que me deu a oportunidade de conhecer ainda mais o que as rádios internacionais representavam.

Com o aparelho em mãos comecei a perceber de fato o que era ondas curtas e pra onde fosse sempre levava comigo o rádio e começa a escutar as mais diferentes transmissões de todas as partes do mundo.

Quando comecei a dar atenção às emissoras, comecei a escrever cartas e desde então passou a ser vasto a gama de contatos com as emissoras internacionais. Foram correspondências para a Voz da América, Rádio França Internacional, a própria Rádio Internacional da China e muitas outras emissoras que até hoje ainda aguardo alguma resposta.

Ao longo dos anos ganhei inúmeros presentes e recordações, concursos, dinheiro, aparelhos de rádios e muitas outras coisas legais.

Mas para mim o mais fascinante sempre foi saber que uma emissora de tão longe, quem sabe do outro lado do mundo, estivesse ali chegando ao meu receptor com qualidade e falando na minha língua.

A minha paixão verdadeira é a transmissão e recepção das ondas eletromagnéticas. Elas estão fazendo parte da minha vida a muito tempo e até um chiado hoje completa para minha mente a mais bela melodia em uma sinfonia perfeita, regida por algo que até eu mesmo não entendo ou não sei de onde vem. Esse amor pelo rádio é verdade, natural, deve ter vindo de nascença e me persegue, me consume, me faz feliz todos os dias da minha vida.

Um mundo fácil de compreender

Esta viagem à china foi para mim a mais bela de todas, apesar de me trazer experiências reais, me faz hoje saber que tudo é possível ao que crer, mesmo não tendo um segmento, mas acreditar vale apena.

Era a manhã do segundo dia da minha visita a Pequim, frio como sempre, porém uma manhã linda, céu claro, dia perfeito. Tudo ainda me soava estranho, fui tomar o primeiro café da manhã na China no restaurante do hotel. Como todo bom cinco-estrelas, tudo feito com muito cuidado e com bom gosto. Neste primeiro dia sentei-me à mesa sozinho, comi algumas frutas, pães e ao sair meus colegas já estavam chegando para fazer também a primeira refeição do dia. Ainda não havia tentando manter diálogo com nenhum, mas nesta manhã fizemos as primeiras trocas de olhares e cumprimento tímidos, porém, sinceros.

Após carregar as energias com aquele delicioso café, fomos para o ônibus e foi na recepção do hotel que conheci a Isabel Shí, uma chinesa que marcou bastante a minha vida. Com a mesma idade que eu, falávamos como se fossemos velhos amigos.

Eu sempre fui apaixonado por essa chinesa. Desde que mantive contato com ela pela primeira vez no ano de 2012 e percebi que a mesma é uma pessoa muito dedicada, responsável, cheia de sonhos e repleta de vontade de conquistar o mundo.

Isabel muito prestativa atenta a todos os meus questionamentos me explicava tudo direitinho. Foi com ela que aprendi finalmente a comer com os tão falados pauzinhos. Ela pegava na minha mão e me ensinava com toda a sua delicadeza e ar de menina paciente e inteligente.

Neste segundo dia fomos conhecer o Templo do Céu, um lugar fantástico, muito visitado e que deposita a crença de muitas gerações nos elementos da natureza como fonte de uma vida melhor e de equilíbrio para o nosso planeta.

O templo do céu é um dos símbolos de Pequim e mais visitados da China. Antes de entrarmos no templo passamos na praça que fica em frente, onde as pessoas que vivem em Pequim, principalmente os idosos realizam ao ar livre diversas atividades recreativas com música, dança e escrita popular no piso da praça.

Os chineses que aqui viviam na época do imperador veneravam o sol, a lua, o céu e a terra, por tal motivo Pequim é rodeada de grandes templos, que neste caso não são dedicados a uma religião especifica, mas seria uma forma de mostra o respeito por estes elementos. Mas além desses templos em Pequim também existem templos budistas. O templo do céu é muito bonito, sua arquitetura seguindo as tradições milenares chinesas é impressionante aos olhos de qualquer um.

Ao chegar ao templo do céu também reservei um momento para refletir um pouco sobre as diversas historias que já poderiam ter acontecido neste local que já teria mais de 400 anos desde a sua construção.

Para chega ao templo do céu, antes se encontra pelo caminho outros templos menores, bem como outros monumentos que serviam como local de veneração aos elementos que compõe a natureza.

Após sairmos do Templo fomos a um almoço e na seqüência visitamos o mercado de Xiushui e a Avenida Chang’an. No mercado pude visitar algumas lojas para comprar algumas recordações e presentes para levar de volta para o Brasil. O interessante deste mercado é que a negociação dos preços é muito importante. Você pode discutir com o vendedor quanto quer pagar por algum produto.

Os chineses são sem dúvidas, muito expertos, experientes, eles percebem que você não é do lugar, por mais que possa ter olhos puxados, até descobrem de onde você é. Isabel recebeu reclamações de um vendedor que percebeu que minha amiga tentava me ajudar em uma negociação e os vendedores ficam chateados quando algum chinês tenta ajudar o turista e evitar com isso que ele gaste algum dinheiro de forma desnecessária.

Comprei algumas camisetas, para presentear alguns amigos, mas nem posso falar quanto custaram, certamente não é uma coisa muito agradável falar do quanto você pagou por determinado objeto que você presenteia alguém.

Ainda após passarmos na Avenida Chang’an foi feita uma rápida visita próximo ao prédio da emissora estatal Chinesa CCTV o que era para mim um grande sonho conhecer mais de perto a maior televisão da China.

Com um dia muito proveitoso e atividades muito legais nos locais visitados o dia foi encerrado com um jantar em um restaurante próximo ao prédio da Rádio Internacional da China.

Leonaldo Ferreira da Silva (Léo Ferreira)

*Estudante de Jornalismo na Faculdade Católica Paulista

**Amante das comunicações e em especial do rádio é editor, colaborador e WebMaster do Portal Nordeste1