Lançado no governo do presidente Bolsonaro, o Pix é um enorme sucesso e está perto de bater a marca de R$ 1 trilhão de transações realizadas em um único mês. Segundo o Banco Central do Brasil, ele é operado por mais de 770 instituições e mais de 478 milhões de chaves do Pix já foram criadas por 122 milhões de pessoas físicas.

O BIS (Bank for International Settlements), com sede na Suíça, uma espécie de banco central dos bancos centrais, elogiou o Pix por ter “os menores custos e maior inclusão financeira”. Agora o Pix vai ganhar o mundo.

Pix internacional para 60 países

Ainda em fase de testes pelo próprio BIS, vem aí o Nexus, o Pix que vai permitir transferências de valores para mais de 60 países. Ele permitirá que você use o dinheiro em compras internacionais sem a necessidade de ter um cartão de crédito internacional.

Quer ajuda para colocar as contas em dia? Assine agora a newsletter e receba conteúdo gratuito e exclusivo no seu e-mail!

Ao se cadastrar o usuário está de acordo com as Políticas de Privacidade

Malásia, Cingapura e Zona do Euro já estão testando o sistema através do Banco da Itália, enquanto o Brasil participa apenas como consultor.

Estados Unidos terá seu próprio Pix

O sucesso do Pix é tão grande que os Estados Unidos vão criar seu próprio sistema de pagamentos instantâneos, o FedNow. Com projeção de lançamento para maio de 2023, o FedNow promete acabar com o cheque nos EUA, como praticamente já fez no Brasil.

“A disponibilidade imediata de dinheiro pode ser especialmente importante para famílias que administram suas finanças de salário em salário ou pequenas empresas com restrições de fluxo de caixa”, disse recentemente Lael Brainard, vice-presidente do Fed, autoridade monetária norte-americana.

Na América Latina, a Colômbia foi a primeira a demonstrar interesse em criar seu próprio Pix ― inclusive como um dos países integrantes do Pix internacional brasileiro.

Vale destacar ainda que o Canadá também já iniciou estudos para ter seu próprio Pix.

 

TERRA