Foto: Reprodução

A candidata do MDB à Presidência da República, Simone Tebet, defendeu na manhã desta 4ª feira (14.set.2022) em visita ao Porto Digital, no Recife, um governo “parceiro da iniciativa privada”. Para a candidata, a responsabilidade do Estado brasileiro deve ser com serviços essenciais à população brasileira, como saúde, segurança pública e algumas obras específicas de infraestrutura.

“O resto é parceria público-privada, é concessão, é Programa de Parceira de Investimentos, é Parceira Público- Privada, é buscarmos nas organizações sociais aquilo que nós não temos”, declarou.

Tebet acrescentou que, se eleita, vai investir no Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. Disse também que nenhuma verba da pasta será cortada.

“Imagine a tecnologia a serviço na irrigação do Nordeste, do agreste, do sertão do nordeste brasileiro. Imagina essa tecnologia à disposição em um prontuário único. Não é um prontuário único em Caruaru só. É um prontuário único onde eu, que sou lá de Mato Grosso do Sul, se sair de lá vir para o Recife e ficar doente e precisar de um SUS (Sistema Único de Saúde) e eu chego aqui, eu tenho a minha ficha”, afirmou.

Ao falar de educação, Tebet apontou a falta de qualificação como um grande problema no país. A candidata do MDB à Presidência admitiu a necessidade de rever o ensino universitário e avaliar se os cursos oferecidos atendem à necessidade do mercado, de modo que o jovem formado tenha emprego. Também falou na importância da valorização dos professores.

“Nós temos que assumir o compromisso da União com os municípios e com os Estados. Acabar com as 2.000 creches inacabadas no Brasil, são 14.000 obras paradas em todo o Brasil”, afirmou.

Simone Tebet também comentou o ensino médio no Brasil que, segundo ela, é o grande problema na área de educação. “No Brasil, 37% dos nossos jovens trabalham, 37% dos jovens não têm razão nem prazer de estar num banco de uma escola”.

Com informações da Agência Brasil.