Greve afeta os voos em todo o continente europeu

Ao menos 1.000 voos foram cancelados na manhã desta 6ª feira (16.set.2022) na França. A paralisação havia sido anunciada pelo Sncta (Sindicato Nacional dos Controladores de Tráfico Aéreo, na sigla em português) na 4ª feira (14.set) em protesto por melhorias salariais e de condições de trabalho.

Segundo o sindicato, um dos principais do setor na França, “depois de meses de negociações”, e “diante do fracasso” das tratativas, as paralisações foram estendidas por mais 3 dias: 28, 29 e 30 de setembro. Além disso, o Sncta afirmou que “a ausência de aumento salarial é injustificável”.

A ação desta 6ª (16.set) terminará às 6h (1h no horário de Brasília) de sábado (17.set). Forçou diversas companhias aéreas a reduzirem seus horários e outros aviões a se desviarem do espaço aéreo francês.

No Twitter, a autoridade francesa DGCAC (Direção Geral da Aviação Civil, na sigla em português) afirmou que o tráfego aéreo seria “severamente interrompido em todo o território nacional”. Além disso, pediu aos passageiros, “se possível”, adiarem suas viagens e entrarem em contato com as companhias áreas.

Ryanair, uma das companhias afetadas, disse em comunicado que a greve é “injustificável”. Diretor de operações da empresa, Neal McMahon afirmou que é “imperdoável que os passageiros que nem estão voando para ou da França sejam interrompidos”.

Eis a relação das companhias aéreas afetadas:

  • Air France;
  • British Airways;
  • Brussels Airlines;
  • easyJet;
  • Ryanair;
  • Transavia

 

PODER 360