Um poderoso míssil russo explodiu a menos de 300 metros dos reatores da usina nuclear de Pivdennoukrainsk, no Sul da Ucrânia, na madrugada desta segunda-feira, disseram autoridades locais. O governo ucraniano afirmou que por pouco não houve uma calamidade nuclear, ressaltando a ameaça representada pelos ataques do Kremlin a áreas críticas de infraestrutura em toda a Ucrânia.

Não houve danos aos equipamentos essenciais de segurança da usina nuclear, que permaneceu totalmente operacional, disse a empresa. Nenhuma vítima foi relatada inicialmente.

Mas, ainda segundo as autoridades ucranianas, a explosão causou grandes danos ao redor de uma usina hidrelétrica na zona industrial que circunda o complexo nuclear. Isso levou ao desligamento de uma das unidades hidráulicas da usina e provocou cortes parciais de energia na área.

Petro Kotin, chefe da Energoatom, a empresa de energia nuclear ucraniana, disse à TV do país que, embora os prédios de contenção de concreto que abrigam reatores nucleares sejam construídos para resistir a um acidente de avião, a explosão do ataque desta segunda-feira foi poderosa o suficiente para danificar as estruturas mais próximas do local onde o míssil explodiu.

— Não há outra maneira de caracterizar isso, exceto de terrorismo nuclear — disse Kotin.

A extensão dos danos ainda está sendo investigada, disseram autoridades, assim como o tipo de míssil usado.

Kyrylo Tymoshenko, vice-chefe do Gabinete do presidente ucraniano, disse em comunicado que o ataque causou uma breve desconexão de três linhas de energia na usina nuclear, mas que foram reconectadas automaticamente. Todos os reatores da usina estavam operando normalmente, acrescentou, mas alertou:

— Algumas centenas de metros e teríamos acordado em uma realidade completamente diferente — afirmou.

A usina do sul da Ucrânia, a segunda maior em funcionamento na Ucrânia, fica cerca de 482 km a oeste da usina nuclear de Zaporíjia, a maior do país com seis reatores, que foi ocupada por forças russas no início da guerra. Russos e ucranianos têm trocado acusações sobre combates ao redor de Zaporíjia.

A Energoatom divulgou imagens de câmeras de segurança que mostraram uma enorme bola de fogo iluminando o céu noturno sobre a usina de Yuzhnoukrainsk, na região de Mykolaiv. Ela faz parte do Complexo Energético do Sul da Ucrânia, que inclui uma usina hidrelétrica, e fica a mais de 160 quilômetros ao norte da cidade de Mykolaiv, longe das áreas de combate.

O GLOBO