RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) — A juíza Gisele Guida de Faria, da Primeira Vara Especializada em Crimes contra a Criança e o Adolescente do Rio de Janeiro, aceitou nesta sexta-feira (23) a denúncia do Ministério Público contra o ator José Dumont, 72, acusado de armazenar fotografias e vídeos contendo cenas de pornografia infantil.

Dumont foi preso em flagrante no último dia 15, depois que policiais encontraram imagens em seu computador e em seu telefone celular durante operação de busca e apreensão em sua casa. Ele é investigado também por suposto abuso de um adolescente.

Sua prisão foi convertida em preventiva durante audiência de custódia, a pedido da promotoria, em decisão que considerou suspeitas de que algumas das imagens armazenadas tenham sido produzidas pelo próprio ator.

“Embora a defesa tenha afirmado que ele não teria tido a vontade de armazenar os arquivos e que realizaria um trabalho envolvendo o assunto, não se pode desconsiderar que o relatório da SEPOL indica ‘a possibilidade de ter sido produzida pela câmera do trabalho apreendido'”, diz trecho da decisão.

Dumont alega que pesquisou as imagens para estudo para a realização de um trabalho sobre o tema e que não participa de grupos com trocas de imagens infantis pornográficas. Ele também negou ter fotografado, filmado, comprado ou vendido qualquer material do tipo.

A denúncia que levou à operação de busca e apreensão foi feita por vizinhos, que afirmaram que o ator foi flagrado em imagens do circuito interno do prédio acariciando e beijando um adolescente de 12 anos. Na operação, policiais encontraram cerca de 240 arquivos de pornografia infantil, totalizando 98 megabytes.

Nesta segunda (19), o Ministério Público da Paraíba requisitou, nesta segunda-feira (19), a retomada das investigações sobre possível estupro de vulnerável praticado por Dumont em 2009 na cidade de Cabedelo, a 15 km de João Pessoa.

As investigações tiveram início quando uma vizinha do ator encaminhou uma denúncia ao Ministério Público Federal, relatando que ele estaria recebendo em seu apartamento meninos na faixa de 8 a 14 anos.

Dumont estava escalado para interpretar um explorador de menores na novela “Todas as Flores”, uma produção original da Globoplay. Segundo a sinopse, o personagem abriga crianças que pedem esmola em um ônibus abandonado onde ele mora.

“Diante dos fatos noticiados, a Globo tomou a decisão de retirá-lo da novela. A suspeição de pedofilia é grave. Nenhum comportamento abusivo e criminoso é tolerado pela empresa, ainda que ocorra na vida pessoal dos contratados e de terceiros que com ela tenham qualquer relação”, afirmou a emissora.