A governadora do Ceará, Izolda Cela (Foto: Reprodução)

A governadora do Ceará, Izolda Cela, classificou de “tragédia” o ataque de um aluno contra três colegas na Escola Estadual Professora Carmosina Ferreira Gomes, em Sobral, e determinou resposta rápida para o caso, sobretudo sobre a origem da arma utilizada no crime. Três estudantes foram baleados durante uma discussão dentro da unidade de ensino, de acordo com Izolda. Um dos estudantes de 15 anos foi atingido na cabeça e está intubado em estado grave na Santa Casa do município. Outro menor, baleado na perna, passa pela avaliação da equipe de traumatologia e a terceira vítima, também atingida na cabeça, mas de raspão, recebeu alta.

O atirador, que foi apreendido pela Polícia Militar, usou no ataque a arma de um parente que é Colecionador, atirador desportivo e caçador (CAC). De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) do Ceará, o jovem disse em depoimento na delegacia que seria vítima de bullying e teria premeditado o ataque, que segue sendo investigado.

O ataque aconteceu na Escola de Ensino Médio Professora Carmosina Ferreira Gomes, no bairro Sumaré. As três vítimas são adolescentes do primeiro ano do ensino médio, e o que está em estado mais grave tem 15 anos. Ele levou um tiro na cabeça e está intubado. Um segundo levou um tiro na cabeça também, mas está consciente e passará agora por uma tomografia. O terceiro levou um tiro na perna e está sendo avaliado pela traumatologia. As informações foram passadas pelo hospital Santa Casa de Sobral, para onde foram levados.

Frequentadores da Igreja Nossa Senhora do Carmo, que fica em frente à escola, estão chocados. Eles souberam que o autor, que teria 16 anos, era muito quieto e estaria sofrendo bullying de colegas quando decidiu atirar contra três deles.

De acordo com Divino Pereira de Souza, que trabalha na paróquia, ele atendia a um fiel na secretaria quando os tiros aconteceram. Mas ele conta que não ouviu e supõe que o atirador tenha usado um silenciador. Divino conta que foi abrir o portão principal da igreja e se deparou com movimento de pessoas e carros da polícia.

— Infelizmente, foi uma tragédia. Parece que ele sofria bullying. Mas ainda não conseguimos saber quem era o garoto. Foi tudo muito rápido e silencioso.

O GLOGO