Rishi Sunak é o primeiro não branco a se tornar premie do Reino Unido

O ex-ministro das Finanças do Reino Unido, Rishi Sunak, foi nomeado oficialmente primeiro-ministro britânico pelo rei Charles III na manhã desta terça-feira, 25, no Palácio de Buckingham. O primeiro não-branco a se tornar premiê do Reino Unido teve a nomeação em sua primeira audiência com o monarca, que assumiu o posto em setembro, logo após a morte de sua mãe, a rainha Elizabeth II. Em seguida, Sunak fez seu primeiro discurso no cargo em frente à porta da Downing Street, referindo-se aos principais problemas que o país enfrenta atualmente. Ele afirmou que sua antecessora não estava errada, mas que erros persistiram e que vai trabalhar para resolvê-los. “Quero homenagear Liz Truss. Ela não estava errada. Foi uma causa muito nobre, mas alguns erros persistiram. E eu fui eleito para, em parte, consertar esses erros. Esse trabalho começa imediatamente. Isso significa que decisões difíceis serão tomadas. Nosso país está sofrendo uma profunda crise econômica. Os efeitos da pandemia [da Covid-19] ainda ressoam, a guerra também. Meu governo não deixará para as próximas gerações as dívidas que fomos muito fracos para pagar”, declarou.

Ainda em seu discurso, Sunak prometeu liderar o país “para o futuro e colocar suas necessidades acima da política”, afirmando estar pronto para o cargo e não temer o peso das responsabilidades. O novo premiê ainda disse que fará um governo que represente o melhor do partido conservador, do qual faz parte. “Juntos podemos alcançar coisas incríveis”, diz ele. “Melhores escolas, ruas mais seguras, controle de nossas fronteiras, proteção de nosso meio ambiente, apoio às nossas forças armadas e nivelamento”, garantiu.

Sunak assume o lugar de Liz Truss, que deixou o cargo oficialmente também nesta terça após um breve discurso na frente de Downing Street. Truss foi a primeira-ministra que ficou no cargo por menos tempo, apenas 45 dias, e decidiu pela renúncia após suas medidas de corte de impostos e aumento de gastos públicos terem sido mal recebidas pelo mercado, desvaloriando a libra esterlina e levando à quedas acentuadas da bolsa de Londres, bem como a queda do ministro da Economia, Kwasi Kwarteng. Em seu discurso, Truss desejou sucesso a Sunak e enfatizou que ainda acredita na ideologia de alto crescimento e baixa tributação que tentou aplicar no cargo. “Nosso país continua lutando contra uma tempestade. Mas eu acredito na Grã-Bretanha. Acredito no povo britânico. E sei que dias melhores estão por vir”, disse antes de anunciar sua renuncia formalmente ao rei Charles III.

Truss ainda destacou a necessidade da Inglaterra se manter em favor da Ucrânia na guerra iniciada pela invasão da Rússia. “As democracias devem ser capazes de entregar para seu próprio povo. Devemos ser capazes de superar regimes autocráticos onde o poder está nas mãos de poucos. E agora, mais do que nunca, devemos apoiar a Ucrânia em sua corajosa luta contra a agressão de Putin. Ucrânia deve prevalecer e devemos continuar a fortalecer as defesas de nossa nação.” O antecessor de Truss, Boris Johnson também se pronunciou na manhã desta terça, pelas redes sociais, pedindo que todos os conservadores apoiem Sunak e parabenizando o colega de partido. “Parabéns a Rishi Sunak neste dia histórico, este é o momento para todos os conservadores darem ao nosso novo primeiro-ministro seu apoio total e sincero”.

 

Jovem Pan