© REUTERS/Gleb Garanich/Direitos Reservados

A Rússia redobrou o alerta de que a Ucrânia está se preparando para usar uma “bomba suja” em seu próprio território, uma afirmação descartada pelo Ocidente e por Kiev como falsa, e que deve ser levada ao Conselho de Segurança da ONU nesta terça-feira (25).

Moscou enviou uma carta detalhando suas alegações sobre Kiev às Nações Unidas ontem (24), e diplomatas disseram que a Rússia planeja levantar a questão em uma reunião fechada com o Conselho de Segurança hoje.

“Vamos considerar o uso da bomba suja pelo regime de Kiev como um ato de terrorismo nuclear”, disse o embaixador russo na ONU, Vassily Nebenzia, ao secretário-geral da ONU, António Guterres, e ao Conselho de Segurança, na carta à qual a Reuters teve acesso.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse que a acusação da Rússia é um sinal de que Moscou – que ameaçou usar uma arma nuclear tática na Ucrânia – está planejando tal ataque e se prepara para transferir a culpa para a Ucrânia.

Com as forças ucranianas avançando para a província de Kherson, ocupada pela Rússia, importantes autoridades russas ligaram para seus colegas ocidentais no domingo (23) e na segunda-feira para expor suas suspeitas.

França, Reino Unido e Estados Unidos disseram que as alegações são “falsas” e Washington alertou a Rússia de que haveria “graves consequências” para qualquer uso nuclear, embora dizendo que ainda não havia sinais disso.

“Haveria consequências para a Rússia se ela usasse uma bomba suja ou uma bomba nuclear”, disse o porta-voz do Departamento de Estado Ned Price. A Casa Branca afirmou que não há indicação de que a Rússia tenha decidido usar uma bomba suja ou qualquer arma nuclear.

“Continuamos não vendo nada sobre preparativos do lado russo para o uso de armas nucleares”, disse o porta-voz de segurança nacional da Casa Branca John Kirby a repórteres.

O Ministério da Defesa da Rússia declarou que o objetivo de um ataque de “bomba suja” da Ucrânia seria culpar Moscou pela contaminação radioativa resultante, para a qual a Rússia começou a se preparar.

A agência nuclear da ONU disse que estava se preparando para enviar inspetores a dois locais ucranianos não identificados a pedido de Kiev, ambos já sujeitos a suas inspeções, em uma aparente resposta à alegação de “bomba suja” da Rússia.

 

REUTERS