Paulo Figueiredo diz que relatório das Forças Armadas não são sobre fraude

Ministério da Defesa enviou ontem, 9, o relatório sobre análise do sistema eleitoral brasileiro ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) onde apontou possíveis riscos em relação a segurança das urnas. A pasta sugeriu ainda uma investigação técnica com uma análise “minuciosa” na compilação do código-fonte. O assunto foi debatido pelos comentaristas do programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan. Paulo Figueiredo disse que o objetivo principal do relatório não era indicar fraude, mas de mostrar se o sistema eleitoral do Brasil é seguro. O comentarista criticou a resposta do presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, ressaltando que “assim como todas as demais entidades fiscalizadoras”, o relatório das Forças Armadas “não apontou a existência de nenhuma fraude ou inconsistência nas urnas eletrônicas e no processo eleitoral de 2022”. “Não se trata de um relatório sobre fraude, mas para mostrar se sistema eleitoral é seguro ou não. Eles apresentaram resultados impressionantes. Descobrimos que o nosso sistema eleitoral é um queijo suíço. As Forças Armadas trazem grandes vulnerabilidades, tanto na compilação do código-fonte quanto na biometria. A resposta do Alexandre de Moraes foi um agradecimento dizendo que o relatório não apontou fraude. Hoje diz que o assunto está encerrado e que as sugestões serão vistas de forma oportuna. Essa escarrada motivou a convocação da reunião entre os militares”, finalizou.

 

Jovem pan