Foto: Julia Moraes/Fiesp/Divulgação

A polêmica viagem ao Egito feita em seu jatinho particular não foi o único agrado dado pelo empresário José Seripieri Filho, dono da operadora QSaúde, ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Considerando o período de campanha eleitoral e o que antecedeu o início oficial da disputa, Júnior, como o empresário é conhecido, doou R$ 2 milhões para o Partido dos Trabalhadores.

Segundo a prestação de contas apresentada pela sigla ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), R$ 615 mil foram repassados para a conta do diretório nacional do PT em duas transferências feitas em julho e agosto, antes do início oficial da campanha.

Os repasses foram registrados como doação para “manutenção do partido”. O PT costuma usar essas contribuições para custear despesas que não podem ser pagas com dinheiro do fundo partidário, como o aluguel da casa de Lula em São Paulo e os honorários dos advogados que defendem o presidente eleito.

Depois do início da disputa eleitoral, Junior fez outras três transferências. Uma de R$ 660 mil para a conta do diretório nacional, em setembro, e outra de R$ 500 mil para a conta da própria campanha de Lula, em outubro.

Metrópoles