Lula embarca para a África com expectativa de discutir agenda bilateral e retomar parcerias

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva embarcou para o Egito nesta terça-feira (12) com o discurso de que deve retomar o potencial da parceria com o continente africano. O petista partiu da Base Aérea de Brasília por volta das 14h, com destino ao Cairo, capital egípcia. Durante o trajeto, fará uma escala na Ilha do Sal, em Cabo Verde. “Embarco para o Egito nesta terça-feira de Carnaval. Na sequência, visito a Etiópia para a reunião da União Africana. O Brasil tem fortes relações históricas e culturais com o continente africano e devemos retomar o potencial dessa parceria”, afirmou o presidente, em publicação nas redes sociais.

O vice-presidente e ministro do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin, compartilhou uma foto com Lula em suas redes sociais antes do embarque do presidente. “Será uma grande oportunidade para o Brasil mostrar que está, de fato, de volta ao mundo, contribuindo de maneira construtiva em temas que afetam toda a humanidade”, afirmou Alckmin. Ele assume o Planalto durante a ausência de Lula no país.

Mais cedo, o Ministério das Relações Exteriores informou que Lula irá discutir com o presidente egípcio, Abdel Fatah Al-Sisi, os principais temas da agenda bilateral nas áreas de comércio, investimentos, cooperação técnica, cooperação em educação e cooperação em defesa. “Os dois presidentes deverão tratar, igualmente, de temas regionais e multilaterais, tais como mudança do clima, reforma das organizações internacionais e conflito Israel-Palestina”, detalhou o Itamaraty.

A reunião acontece meses depois do apoio egípcio para a retirada de brasileiros e familiares da Faixa de Gaza, pelo conflito entre o grupo terrorista Hamas e Israel. No ano passado, Lula conversou por telefone com o líder egípcio e defendeu a criação de uma espécie de corredor humanitário para a saída dos estrangeiros da região, o que foi atendido.

Na sequência, Lula vai para Adis Abeba, capital da Etiópia, para participar da reunião de chefes de Estado e de governo da União Africana. Desde 2023, a organização internacional é membro permanente do G20, grupo que reúne as 19 economias mais ricas do mundo e a União Europeia.

Na Etiópia, o presidente vai ter reuniões bilaterais com autoridades e vai participar, como convidado, da Assembleia da União Africana, entidade que representa os cerca de 50 estados do continente. Devem participar da agenda o secretário-geral da ONU, António Guterres, e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas. A expectativa do Itamaraty é de que Lula se reúna com ambos durante os dias 17 e 18 de fevereiro.

O G20 é presidido pelo Brasil neste ano. O país vai ser o anfitrião da cúpula de chefes de Estado do grupo, previsto para acontecer em novembro, no Rio de Janeiro. O lema da gestão é “Construindo um mundo justo e um planeta sustentável”, com foco no combate à fome, à pobreza e à desigualdade; na reforma da governança global; e em dimensões do desenvolvimento sustentável — econômica, social e ambiental.

R7