Polícia Federal envia nome do presidente do Solidariedade para lista vermelha da Interpol

0
7
Eurípedes Júnior teria comprado helicóptero com recursos desviados, diz PF (Foto: Reprodução/ PROS)

Justiça emitiu mandado de prisão contra Eurípedes Júnior, mas ele não foi encontrado; outros 6 dirigentes do partido estão presos

O presidente do Solidariedade, Eurípedes Júnior, é considerado foragido e teve o nome enviado à Interpol nesta quinta-feira (13). Na última quarta-feira (12), dia da operação da Polícia Federal em que outros seis dirigentes do partido foram presos, Eurípedes estava a caminho do aeroporto de Brasília com a esposa onde encontraria o primo e primeiro secretário da legenda, Alessandro Sousa da Silva e sua mulher, tesoureira do partido, Cíntia Lourenço da Silva.

Eles tinham uma viagem programada para São Paulo, onde ficariam do dia 12 a 17 de junho. Cíntia e Alessandro foram presos no terminal aéreo, mas Eurípedes teria sido avisado da operação no caminho e conseguiu escapar.

Eurípedes é suspeito de liderar um esquema de desvio de verbas públicas do fundo eleitoral e partidário. Segundo a Polícia Federal, os desvios feitos entre 2020 e 2023 chegam a R$ 36 milhões. O relatório da PF aponta que Eurípedes chegou a comprar um helicóptero com o dinheiro desviado.

Com o nome na lista da Interpol, Eurípedes não pode entrar legalmente nos países signatários da organização, seja por aeroportos ou fronteiras. Com isso, a Polícia Federal tenta localizar o foragido o mais rápido possível mesmo que ele já tenha conseguido deixar o país.

A lista de difusão vermelha é uma ferramenta de cooperação policial entre os países signatários da Interpol. Quando existe a possibilidade de um foragido sair do país, a polícia insere o nome dele nesta lista. A partir da inclusão do nome e dados do fugitivo, ele passa a correr o risco de ser identificado não só em aduaneiras e postos de migração, mas também ao utilizar cartões de crédito ou identidade para compras. Quando o foragido é identificado, as autoridades informam ao país de origem, sem que o fugitivo saiba. Atualmente 195 países fazem parte Interpol.

Por Portal Correio 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui