Criança violentada e assassinada é sepultada em meio a comoção

corpo da criança de seis anos encontrada morta num automóvel foi sepultada na manhã desta sexta-feira (15), no Cemitério de Tabuba, em Caucaia, na Grande Fortaleza.

A criança desapareceu na quarta-feira (13), na região da Tabuba, e achada na quinta-feira (14), por uma mulher que ajudava nas buscas. O corpo dela estava enrolado em um lençol, vestindo apenas uma calcinha. Ninguém foi preso.

O veículo estava estacionado vizinho à casa da família. Proprietário do carro disse que o veículo está com defeito há seis meses, por isso ficava destrancado o tempo inteiro.

‘Justiça e crueldade’

 

Durante o velório, familiares e amigos lamentaram o crime. A tia da criança, Verônica Ferreira do Nascimento, disse que o corpo apresentava sinais de espancamento e afirmou que a pessoa que praticou o crime foi cruel.

“Foi uma crueldade grande com essa criança. A pessoa foi muito cruel. Nós queremos saber quem fez isso com ela. Queremos Justiça. Eu vi. Ela, o corpo dela, mostrava sinais de espancamento”, disse.

 

A prima da vítima, Simone Ferreira, pede Justiça e ficou pensando o quanto a criança sofreu durante as agressões.

“A gente fica sem imaginar como isso pode acontecer na família da gente. Muita crueldade uma pessoa fazer isso com uma criança. Quem foi, quanto ela sofreu, tudo isso a gente fica imaginando. Uma criança que não tinha maldade não fazia nada com ninguém. Queremos Justiça”.

 

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, as primeiras investigações apontaram que a vítima tinha sinais de violência sexual. “A Pefoce trabalha para identificar vestígios sexuais, bem como confirmar a causa da morte”, disse a pasta, em nota. Seis pessoas foram ouvidas e tiveram material genético coletado.

Segundo relatos da mãe, a criança havia sido deixada em casa com a avó e o irmão, antes da família ter confirmado o sumiço. Conforme testemunhas, várias pessoas da comunidade onde a criança foi achada morta procuraram por ela. Por volta das 3h30 da madrugada, uma mulher avistou a criança enrolada dentro do veículo.

As investigações estão a cargo do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa.

“Abri o carro e encontrei a criança enrolada num lençol. Ainda verifiquei, mas ela não tinha mais pulso [sinais vitais]”, disse a pessoa que participou das buscas da vítima, que prefere não se identificar.

g1