CBF vai exigir VAR em todos os amistosos após descuido contra a Espanha

Seleção reclama de dois pênaltis marcados a favor do adversário no empate por 3 a 3 desta terça-feira no Bernabéu

A seleção brasileira leva lições do empate por 3 a 3 com a Espanha nesta terça-feira (26), no Santiago Bernabéu. Um aprendizado que vai além de possíveis erros da equipe ou ajustes que Dorival Júnior possa fazer de olho na Copa América. Tudo tem a ver com os erros da arbitragem e a ausência do recurso do VAR na partida.

Conforme apurado pela Trivela, o contrato assinado pela CBF com a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF) não previa a disponibilização da tecnologia no amistoso. A comissão técnica só foi alertada sobre isso na reunião com as delegações às vésperas do jogo, quando já não havia possibilidade de contornar a situação.

Isso não se repetirá mais a partir de agora. A CBF pretende exigir o uso do VAR em todos os amistosos que a Seleção disputar daqui para a frente. A vitória sobre a Inglaterra em Wembley, no último sábado (23), contou com o recurso.

O presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, confirmou a intenção ao ge após a partida realizada em Madri. O pedido não será apenas para jogos da Seleção, mas sim para qualquer confronto entre seleções.

— A CBF vai, sim, comunicar para a Fifa, que não só em jogos da seleção brasileira, mas em qualquer jogo que seja data Fifa e que seja amistoso, que tenha obrigatoriedade de utilizar o VAR. Porque acho que compromete o espetáculo e isso não pode ser assim. Um futebol que é tão avançado na Europa deixou a desejar em uma partida tão importante. E qualquer que fosse o jogo. Não cabe mais não utilizar o VAR — afirmou.

As reclamações da Seleção

A delegação brasileira deixou o Bernabéu sob o sentimento de que a arbitragem interferiu diretamente no resultado, com os dois pênaltis marcados em favor da Espanha. A avaliação na Seleção é de que não houve penalidade em nenhum dos dois lances.

No primeiro, logo no início da partida, Lamine Yamal desabou na área após uma jogada com João Gomes. O árbitro assinalou pênalti mesmo sem o contato do brasileiro. Depois, na segunda etapa, Carvajal dividiu com Beraldo e caiu no gramado com o contato.

Dorival fala sobre a arbitragem

— Olha, eu acho que é muito difícil hoje [jogar sem VAR]. O próprio árbitro está totalmente condicionado e na expectativa e espera do que o VAR fatalmente o ajudaria a definir. Eu percebi na hora da marcação da primeira penalidade todas as dúvidas possíveis na cabeça dele. Ele demorou pelo menos 10 segundos para depois do apito levar o dedo até a marca de cal. Então é um fato isso. Todos estão acostumados, já pelo menos cinco anos, a jogar com o apoio do VAR. Então não há porque num jogo desse nível, com o futebol com a velocidade que está, nós não temos aí a possibilidade de contarmos com o apoio — afirmou o técnico em sua passagem na zona mista.

Por Trivela