Gabigol é relacionado pelo Flamengo para jogo com o Amazonas pela Copa do Brasil

A partida aconteerá a partir das 21h30 desta quarta-feira (1º), no Maracanã

Após obter um efeito suspensivo, Gabigol foi relacionado pelo Flamengo para a partida contra o Amazonas a partir das 21h30 desta quarta-feira (1º), no Maracanã, pela ida da terceira fase da Copa do Brasil.

“Estou feliz de estar voltando, de estar com os meus companheiros. Claro que ansioso para amanhã [quarta]. Tomara que o Maracanã esteja lotado. Se eu puder fazer um pedido, espero que esteja lotado, que a torcida compareça. Queria agradecer todo o carinho que tiveram por mim, as mensagens, as bandeiras nos jogos… Sempre me senti representado. Então, como falei, estou ansioso para encontrá-los”, disse Gabigol, à Fla TV.

Ele havia sido suspenso do futebol até abril de 2025 após um julgamento realizado pelo Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem (TJD/AD). Porém, conquistou um efeito decisivo por decisão unânime.

Antes da declaração sobre a volta, o camisa 10 do Flamengo já havia postado uma animação em que aparece correndo pelas ruas do Rio de Janeiro até chegar ao estádio do Maracanã. Nos comentários, seguidores vibram pelo retorno do jogador. “Bem-vindo de volta”, escreveu uma torcedora.

Em março, o atleta foi considerado culpado por tentativa de fraude em um exame antidoping. O tribunal entendeu que ele procurou impedir a realização de exame-surpresa pela ABCD (Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem) no centro de treinamento do clube, em 8 de abril do ano passado. Ele também teria atrasado a coleta de sangue e de urina pela autoridade de controle de dopagem.

A defesa do atacante ainda pode recorrer à CAS (Corte Arbitral do Esporte). Na ocasião, em nota, o Flamengo afirmou que vai auxiliar seu atleta na apresentação do recurso, “uma vez que entende que não houve qualquer tipo de fraude, nem mesmo tentativa, a justificar a punição aplicada”.

Gabigol foi denunciado com base no artigo 122 do Código Brasileiro Antidopagem -“fraude ou tentativa de fraude de qualquer parte do processo de controle de dopagem por um atleta ou outra pessoa”-, que prevê uma pena máxima de quatro anos de suspensão.

Cinco juízes votaram pela condenação do atleta, e quatro votaram pela absolvição.

O jogador recebeu suspensão de dois anos, mas, na prática, cumpriria apenas um. O tribunal entendeu que houve uma demora no processo que não pode ser atribuída a Gabriel e apontou o começo do cumprimento em 8 de abril de 2023 -quando a coleta foi feita no CT do Flamengo-, ainda que a penalização não tenha se iniciado de fato no ano passado.

O episódio que gerou a punição ocorreu na véspera de um jogo do Flamengo contra o Fluminense, pelo Campeonato Carioca. Na ocasião, oficiais da ABCD foram ao CT do clube rubro-negro para uma coleta sem aviso prévio, fora da competição, em uma prática também comum.

Apesar de o exame do jogador ter dado negativo para doping, as autoridades relataram situações que levaram Gabriel a ser acusado de fraudar ou tentar fraudar o exame, como ignorar a presença dos oficiais -o atleta não teria ido até eles antes do treino e, depois da atividade, foi almoçar ainda sem fazer o teste.

Também foi relatado que o jogador teria sido desrespeitoso e usado “linguagem rude” com os oficiais. E, por fim, teria tentado evitar o contato visual dos agentes no momento em que urinava no pote, praxe adotada para comprovar que o atleta não tentou usar a urina de outra pessoa.

Naquele dia, o atacante não foi o único jogador do Flamengo testado.

POR FOLHAPRESS