Um dia depois do reajuste da Petrobras, João Pessoa já tem gasolina a R$ 6,19

0
171
Maior valor encontrado pela equipe de reportagem foi o de um posto no bairro de Miramar | Foto: João Pedrosa

O aumento no preço da gasolina para as distribuidoras (R$ 0,20 por litro), anunciado na última segunda-feira pela Petrobras, tem chegado paulatinamente aos postos de combustíveis da Paraíba.

O reajuste já foi constatado em postos de bairros da capital paraibana, João Pessoa, como na Avenida Epitácio Pessoa, em Miramar. O preço à vista estava em R$ 5,99 e a prazo, R$ 6,19. Em outro posto, no bairro Costa e Silva, houve mudança no preço ao longo do dia. Pela manhã, os valores eram de R$ 6,12, à vista, e R$ 6,27, a prazo. À tarde, porém, foram reduzidos para R$ 5,87 e R$ 6,09, respectivamente.

Nos bairros Castelo Branco, Cristo Redentor, Costa e Silva e Tambauzinho, o preço seguia em torno de R$ 5,853, média constatada em pesquisa da Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor de João Pessoa (Procon-JP) e divulgada em 26 de junho. Desde ontem, equipes da Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor do Estado da Paraíba (Procon-PB) também visitam postos de combustíveis do estado para fiscalizar como é feito esse aumento.

De acordo com a superintendente do Procon-PB, Késsia Liliana, esse trabalho é rotineiro e acontece sempre que há uma nova decisão da Petrobras. Ela também informou os primeiros resultados da atual operação. “Em um posto no interior, a gente encontrou repasses antes mesmo da compra do combustível. Entramos em contato com a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis do Brasil (ANP) para verificar essa situação”, contou a superintendente.

O engenheiro elétrico Solfieri Fernandes abasteceu seu carro no posto de Miramar e afirmou que os preços mais altos demandam um novo planejamento do consumidor. “Todo centavo que aumentar de gasolina é um impacto, porque é algo que a gente precisa no dia a dia. Não é um produto que, se aumentou o preço e eu comprei hoje, vou passar um mês sem”, declarou.

Após o anúncio da Petrobras, o crescimento do preço da gasolina nas bombas depende de outros fatores, como o lucro dos varejistas e os custos do transporte.

Outra variável consiste na concorrência entre os estabelecimentos, como ilustra o relato de Anderson da Silva, gerente de um posto de combustível localizado na Rua Diógenes Chianca, no bairro Jardim São Paulo. “Primeiro, o dono do posto vai fazer um mapeamento dos outros postos da cidade, analisar os preços a que o combustível chegou, para só depois fazer a alteração de preço”, explicou.

Gás de cozinha

Além de aumentar o valor da gasolina, a Petrobras também divulgou um acréscimo no preço do gás de cozinha (GLP). O reajuste foi de R$ 3,10 por litro, em um botijão de 13 kg. Segundo o presidente do Sindicato dos Revendedores de Gás do Estado da Paraíba (Sinregas), Marcos Bezerra, o aumento do botijão de gás, para os consumidores paraibanos, foi de R$ 5, e a média do vasilhame agora gira em torno de R$ 110.

 

Fonte: A União 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui