Com a entrada do arcebispo de Kinshasa (República Democrática do Congo), cardeal Fridolin Ambongo Besungu, o chamado “C6” passa ser “C7”. Os outros seis integrantes da comissão são os cardeais Pietro Parolin (Itália), Óscar Maradiaga (Honduras), Reinhard Marx (Alemanha), Sean Patrick O’Malley (EUA), Giuseppe Bertello (Itália) e Oswald Gracias (Índia).

O conselho é coordenado por Maradiaga, também arcebispo de Tegucigalpa. O bispo Marco Mellino foi nomeado como secretário, substituindo o também bispo Marcello Semeraro, que assume o cargo de prefeito da Congregação para as Causas dos Santos.

O dicastério era chefiado pelo cardeal Angelo Becciu, demitido por envolvimento em operações financeiras suspeitas no Vaticano.

A nova Constituição Apostólica, que tem o nome provisório de “Praedicate Evangelium” (“Preguem o Evangelho”, em tradução livre), já foi escrita e está em fase de revisão pelos cardeais.

Ela substituirá a “Pastor Bonus”, promulgada por João Paulo II em 1988. A renovação da Constituição Apostólica sobre a Cúria é um dos principais objetivos de Francisco, que deseja desburocratizar e aumentar a transparência da gestão da Igreja.

Cada dicastério teve sua estrutura avaliada e revisada pelos cardeais, com a meta de combater o desperdício e impor padrões internacionais à administração católica. (ANSA).

Facebook Comments