A taxa média de desocupação na Paraíba, em 2021, foi de 14,8%, acima do indicador brasileiro (13,2%), de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD C) Trimestral.

As informações divulgadas nesta quinta-feira (24), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apontam ainda que houve uma leve melhora em relação ao observado em 2020 no estado (15%). Porém, o patamar registrado antes da pandemia de Covid-19 não foi recuperado, tendo em vista que, em 2019, a proporção de desocupados era de 11,8%

Apesar disso, entre as unidades da federação do Nordeste, a Paraíba registrou a 3ª menor taxa média de desocupação, com uma estimativa de 236 mil desocupados, no último ano. Na região, o índice paraibano só foi maior do que os constatados no Ceará (13,4%) e no Piauí (13,6%).

Por outro lado, com 1,35 milhão de ocupados, o nível de ocupação no estado (42,8%) foi o 3º menor do país, maior apenas do que os observados no Maranhão (41,6%) e em Alagoas (42,3%) – einferior à média nacional (53,2%).

Essa proporção é calculada com base no número de pessoas ocupadas em relação ao total daquelas que estão em idade de trabalhar, ou seja, têm 14 anos ou mais. Em 2019, esse indicador era de 47,3% e, em 2020, atingiu o ponto mais baixo (42,3%) da série histórica desde 2012.

A taxa de informalidade estadual, por sua vez, foi a 8ª maior do país (52,1%), superior à média brasileira (40,1%), em 2021. Diante do resultado apresentado em 2020 (48,8%), houve crescimentono indicador.

Já a taxa composta de subutilização da força de trabalho foi de 38,5% na Paraíba, a 5ª maior entre as 27 unidades da federação, e ficou acima da média geral (27,2%). Esse é o percentual de pessoas desocupadas, subocupadas por insuficiência de horas trabalhadas e na força de trabalho potencial em relação à força de trabalho ampliada. O indicador foi menor do que a média de 2020 (40,2%), mas maior que a de 2019 (34,2%).

Ainda de acordo com o levantamento, em 2021, o rendimento médio de todos os trabalhos efetivo, na Paraíba, foi de R$ 1.896. O valor ficou abaixo da média do Brasil (R$ 2.651), mas foi o 3º maior do Nordeste, inferior apenas aos constatados no Rio Grande do Norte (R$ 2.070) e em Sergipe (R$ 1.945).

4º trimestre de 2021

No 4º trimestre de 2021, a taxa de desocupação na Paraíba chegou a 13%, indicando queda frente ao 3º trimestre (14,5%). Esse foi o menor indicador registrado desde o 4º trimestre de 2019, quando havia sido de 12,2%. Contudo, permaneceu superior à média nacional (11,1%).

No trimestre em foco, o número de desocupados, que no anterior havia sido de 231 mil pessoas e no mesmo período de 2020 era de 254 mil, foi de 208 mil pessoas. Em relação ao terceiro trimestre, os principais setores com acréscimo no número de ocupados foram o de comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas e o de alojamento e alimentação.

A população paraibana ocupada somou, no 4º trimestre de 2021, cerca de 1,39 milhão de pessoas e o nível da ocupação foi de 43,5%, com avanço diante dos resultados do 3º trimestre (42,9%). Apesar disso, o indicador foi inferior à média do país (55,6%). A taxa composta de subutilização foi de 36%, com recuo em comparação ao trimestre anterior (39,9%).