O embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, anunciou nesta sexta-feira que vai deixar o cargo. Wanming passou três anos no Brasil e ganhou notoriedade por suas intervenções em redes sociais e por trocar acusações com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (União Brasil-SP) no início da pandemia da Covid-19.

O anúncio da saída foi feito pelo próximo embaixador em sua conta no Twitter. “Caros amigos, minha missão como embaixador da China no Brasil está chegando ao fim. Os três anos que passei neste nobre país foram uma experiência valiosa na minha carreira diplomática, uma oportunidade pela qual me sinto profundamente honrado e orgulhoso”, escreveu.

Na manhã desta sexta-feira, antes do anúncio, Wanming teve reuniões, separadas, com o vice-presidente Hamilton Mourão e com o ministro das Relações Exteriores, Carlos França. Mourão é presidente da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban).

Em março de 2019, Eduardo Bolsonaro responsabilizou a China pela disseminação global do coronavírus. Wanming reagiu de forma dura, dizendo que as palavras era um “insulto maléfico” e que o deputado havia contraído um “vírus mental”.

Na época, o então ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, chamou a reação do embaixador de “inaceitável” e “desproporcional” e pediu uma retratação da embaixada.