Candidato Pedro Cunha Lima no Debate da TV Arapuan - Foto: Reprodução

Através de nota, o Sindicato dos Jornalistas da Paraíba repudiou declaração de Pedro Cunha Lima (PSDB), candidato a governador do Estado, que atacou a imprensa paraibana durante sabatina ontem, em João Pessoa. O Sindicato classificou a declaração como ‘infeliz’.

Land Seixas, presidente do Sindicato, declarou que os profissionais são éticos e que em todas as categorias há maus representantes.

“A entidade espera uma retratação do candidato Pedro Cunha Lima ou, em caso contrário, que ele cite nominalmente quem seriam os comunicadores que receberiam verba pública para falar bem de quem quer que seja”, disse.

“FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS
SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DA PARAÍBA

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Paraíba repudia as declarações do candidato ao Governo da Paraíba, Pedro Cunha Lima (PSDB), feitas durante um evento voltado ao diálogo com a juventude paraibana na tarde desta quinta-feira, 11, em uma casa de recepções em Cabedelo.

Para aquele público que está formando sua opinião sobre diversos temas, Pedro Cunha Lima colocou “boa parte” da imprensa paraibana sob suspeição. Sem citar nomes, ele atacou jornalistas e empresas de comunicação que, na opinião do tucano, seriam custeados pelo dinheiro público para “blindar” um de seus oponentes na corrida pelo Palácio da Redenção.

“Foi uma declaração extremamente infeliz do candidato. Além disso, foi feita lamentavelmente para a juventude que ficará, a depender do que ouviu de Pedro Cunha Lima, com restrições ao trabalho da imprensa paraibana. Repudiamos essa pecha e ressaltamos que nossos profissionais são éticos, talentosos e competentes. Em toda profissão há bons e maus representantes, mas não é justo, a pretexto de criticar um adversário ou sua conduta, tentar desqualificar toda uma categoria”, explicou o presidente do Sindicato dos Jornalistas, Land Seixas.

A entidade espera uma retratação do candidato Pedro Cunha Lima ou, em caso contrário, que ele cite nominalmente quem seriam os comunicadores que receberiam verba pública para falar bem de quem quer que seja, eliminando assim a suspeição que espalhou sobre todos e que merece nosso veemente repúdio.

A DIRETORIA”

WSCOM