O gesto da vice-presidente de abaixar a cabeça após o disparo da arma ter falhado foi para recolher um livro

A vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, disse que não percebeu que um homem havia apontado uma arma para a sua cabeça na noite da última quinta-feira (1º), quando ela cumprimentava apoiadores na entrada de sua casa em Buenos Aires.

Em depoimento à juíza María Eugenia Capuchetti, que cuida do caso, Cristina contou que não percebeu o ataque frustrado “em nenhum momento” e que só entendeu o que tinha acontecido quando entrou em casa.

O gesto da vice-presidente de abaixar a cabeça após o disparo da arma ter falhado foi para recolher um livro que havia caído no chão. De fato, as imagens mostram que Cristina continua aparentemente tranquila depois do ataque frustrado.

O autor do crime, Fernando Andrés Sabag Montiel, cidadão brasileiro residente na Argentina desde a década de 1990, foi preso em flagrante e responderá por tentativa de homicídio qualificado. O agressor se recusou a responder aos questionamentos da Justiça.

Montiel já tinha passagem pela polícia em 2021 por porte de arma não convencional e está registrado comercialmente como prestador de “serviço de transporte automotor urbano e suburbano de oferta livre”, categoria correspondente a motoristas de aplicativos.

A polícia argentina encontrou 100 balas de arma de fogo na casa do agressor na periferia de Buenos Aires e também apreendeu uma série de documentos pessoais.

 

TERRA