Imposto de Renda 2024: em análise, na fila ou processada? Confira como checar o status da declaração

IMPOSTO DE RENDA 201,Declaração IRPF 2019

Para receber a restituição do Imposto de Renda, o contribuinte não pode ter pendências de débito na Receita Federal do Brasil e na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

Depois de finalizar e enviar a declaração de Imposto de Renda 2024, o contribuinte pode acompanhar o status do processo, principalmente para saber quando receberá sua restituição ou se tem alguma pendência a resolver.

Ao entrar no site Meu Imposto de Renda com a conta gov.br, é possível selecionar a aba “Consultar meu imposto de renda”, na qual, em seguida, o declarante pode conferir todas suas declarações e os respectivos status.

Também é possível entrar diretamente no site da Receita Federal, no portal e-CAC, e chegar no mesmo destino.

Veja as opções de mensagens sobre o andamento da declaração:

Em processamento: a declaração foi recebida, mas o processamento ainda não foi concluído

Na fila de restituição: após o processamento, o contribuinte tem direito à restituição, mas ainda não foi paga

Processada: o processamento da declaração foi concluído. Essa situação ainda não significa que o resultado tenha sido homologado, já que pode ser revisto pela Administração Tributária

Com pendências: o contribuinte precisa resolver pendências para avançar com o processamento

Em análise: a declaração foi recebida, mas ainda aguarda o envio de documentos solicitados ou a conclusão da análise de documentos já entregues pelo contribuinte

Retificada: a declaração anterior foi substituída integralmente pela nova declaração apresentada pelo contribuinte

Cancelada: a declaração foi cancelada pela Administração Tributária ou por solicitação do contribuinte

Tratamento manual: a declaração está sendo analisada e o contribuinte receberá um retorno da Secretaria Especial da Receita Federal

Para o recebimento da restituição do Imposto de Renda, o contribuinte não poderá ter pendências de débito tanto na Receita Federal do Brasil, quanto na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional.

CNN Brasil